3G @ Brasil : uma análise comparativa


Licenças 3G mundo afora : alguns exemplos

3G no Reino Unido : UKP 22,5 bilhões obtidos no leilão em Abril de 2000

    O Reino Unido foi a primeira oportunidade mundial de leilão de concessão do espectro (conjunto de frequências) eletromagnético para uso de rede 3G (terceira geração de celulares) . Foi um recorde histórico, por várias razões na época (em Abril de 2000), obtendo UKP 22,5 bilhões (hoje, R$81,92 bilhões) ao alocar 5 licenças de rede para operadoras de celular, equivalente a UKP 380 (R$1.384) por cidadão do Reino Unido, ou a UKP 560 (R$2.039) por linha de celular em uso no Reino Unido na época (ref. [1-2]). Tais licenças 3G são para um período de 20 anos.

Pagamento das licenças 3G no Reino Unido
Pagamento das licenças 3G no Reino Unido. Retirado da pág. 36 da ref  [1].

3G na Alemanha : EUR 50,5 bilhões obtidos no leilão em Agosto de 2000

    Pouco depois, a Alemanha (ref. [3]) seguiu caminho semelhante e obteve em Agosto de 2000 um valor maior ainda, EUR 50,5 bilhões (hoje, R$131,6 bilhões) ao leiloar as llicenças 3G, equivalente a EUR 610 (hoje, R$1.589) por cidadão da Alemanha na época.

3G na Itália : EUR 12,2 bilhões obtidos no leilão em Outubro de 2000

    Na Itália, o efeito queda da bolha especulativa da Internet e outros fatores fizeram efeito e foi arrecadado "somente" EUR 12,2 bilhões (hoje, R$31,8 bilhões) com licenças 3G para cinco operadoras, mesmo tendo a Itália 17,7 milhões de linhas de celulares contra 13 milhões de linhas de celulares do Reino Unido, em 2000, ambos países com PIB per capita semelhante (US$21-22 mil). Calculando a arrecadação per capita do leilão, de duas formas :
  • a arrecação do leilão per capita seria (EUR 12,2 bi / 58,1 millhões de italianos) = EUR 210 (hoje, R$ 547).
  • a arrecadação do leilão por renda da base de usuários foi de (EUR 12,2 bilhões / (80 milhões de usuários de celular x EUR 21 mil de renda per capita)) = 0,73%.

3G nos EUA : US$ 13,9 bilhões obtidos no leilão em Setembro de 2006

    Após longo atraso em relação aos países europeus, no final de 2006 foi feita a primeira parte do leilão de licenças 3G nos EUA, totalizando US$ 13,9 bilhões. Embora a base de usuários de celulares nos EUA seja grande, bem como a renda per capita idem, só bem recentemente os cidadãos dos EUA tem usado celulares modernos como os europeus e asiáticos o que diminui em pouco o mercado potencial de uso de 3G a curto e médio prazo (a altíssima renda per capita dos EUA não reflete no padrão de aquisição de celulares e serviços sofisticados). Logo estatisticamente não é tão válido calcular as relações abaixo :
  • a arrecação do leilão per capita seria (US$ 13,9 bi / 301 millhões de habitantes dos EUA) = US$46,2 (hoje, R$83,0).
  • a arrecadação do leilão por renda da base de usuários foi de (US$ 13,9 bilhões / (243 milhões de usuários de celular x US$43,7 mil de renda per capita)) = 0,13%.

3G na Argentina : aprox. R$ 6 bilhões obtidos no leilão em 2006

    A Argentina tinha em 10/2007 aprox. 38,8 milhões de celulares, com renda per capita de aprox. US$ 5,5 mil não-PPP (hoje R$9,9 mil). Com várias características próximas as do Brasil em termos de renda per capita, tomemos esse exemplo recente como base de comparação :

3G em vários países (até 2002)

A tabela da ref. [5] (onde usa o dólar da época, bem mais valorizado que hoje, 1 US$ era aprox. igual a EUR 1,1-1,2, ou seja, os valores em US$ devem ser multiplicados por aprox. um fator de 1,5 vezes) lista a arrecadação de licenças 3G per capita (em relação à população de cada país). 

Leilão 3G no Brasil : 18/12/2007 por R$2,8 bilhões (preço mínimo)

    A própria Anatel afirma que tal leilão tem preço mínimo que é a metade do que foi arrecadado na Argentina, que tem uma base de usuários bem menor que a do Brasil. Para compararmos relativamente o quanto menor é esse valor temos que considerar a base de usuários de celulares no Brasil e a renda per capita brasileira. Para 11/2007, a base instalada de celulares no Brasil foi estimada em 116,3 milhões, com renda per capita de aprox. R$ 12,4 mil.
    Caso seja obtido o preço mínimo de R$2,8 bi, teremos :
  • arrecação do leilão per capita de (R$ 2,8 bi / 190 millhões de brasileiros) = R$14,7 (9,6% do valor argentino, 18% do valor dos EUA, 2,7% do valor italiano).
  • a arrecadação do leilão por renda da base de usuários foi de (R$ 2,8 bilhões / (116,3 milhões x R$12,4 mil)) = 0,19% (12% do valor argentino, 1,5x o valor dos EUA e 26% do caso italiano).
    Face aos valores mundias acima citados (principalmente os mais recentes, Argentina e EUA), é da opinião do autor que o valor do leilão deveria ter como base algo como 5-10 vezes o valor mínimo atual, ou seja, o leilão seria fechado com arrecadação da ordem de R$14-28 bilhões. Para garantir isso, o valor mínimo do leilão deveria ser aumentado para 2,5-5 vezes, i.e., R$ 7-14 bilhões.

    Tais valores podem parecer altos em primeira análise, mas são para serem divididos por ao menos 4 operadoras que terão anos para lucrar com milhões de brasileiros usando serviços 3G :
  • banda larga móvel, cada vez mais substituindo banda larga fixa. Por exemplo vide estatísticas sobre o Brasil na ref. [6] onde vemos que os usuários de banda larga no 3o trimestre de 2007 eram 7 milhões (dentre os aprox. 32 milhões de usuários de Internet no Brasil), com crescimento de mais de 1 milhão de usuários por ano. Parte desses usuários usará banda larga móvel. Como hipótese, peguemos um plano médio de R$75 mensais (ilimitado ou de alguns GB/mês), daria receita de R$900 ano por usuário, se tivermos 3 milhões de usuários então serão R$2,7 bi/ano. Ou seja, em um ano já se teria uma receita equivalente ao valor mínimo do leilão 3G;
  • ao longo dos anos, a base de usuários 3G será bem maior, não somente usando banda larga móvel porém cada vez mais boa parte dos 116,3 milhões de celulares (dados de 11/2007, ref [6]) usariam recursos de : chamada de voz-vídeo, streaming de vídeos (até TV móvel) e música, jogos on-line, etc. As operadoras mundiais que utilizam 3G têm aprox. 20-30% do faturamento na área 3G, o que traduzido para a receita operacional líquida do mercado brasileiro de telefonia móvel (R$34 bilhões em 2005) significaria algo da ordem de R$10 bilhões por ano. Se consideramos isso (e valores ainda maiores) por 15 anos, teremos algumas centenas de bilhões de reais de receita operacional líquida devido ao uso da tecnologia 3G no Brasil. Logo algo como R$14-28 bilhões do leilão seriam facilmente amortizados pelas operadoras face ao grande potencial de negócio que se abre com os serviços 3G.

Motivações

    Quais são as razões que me levam a escrever essa análise e tentar divulgá-la na Internet :

Referências

  1. "The Auction of Radio Spectrum for the Third Generation of Mobile Telephones" (PDF compactado com 998 KB), relatório do National Audit Office do Reino Unido, 04/10/2001;
  2. "National Audit Office Says UK 3G Auction was Well Designed", artigo do site 3GNewsRoom, 20/10/2001;
  3. "3G license in Germany", site 3G-Generation, 2001;
  4. "T-Mobile top bidder as 3G auction ends", artigo do site InfoWorld, 18/09/2006;
  5. "3G Country Information", artigo do site 3GNewsRoom, 03/03/2002;
  6. Estatísticas diversas de telefonia móvel, site Teleco;
  7. Seção "3G Terceira Geração" do site Convergência Digital;
  8. "Impugnações ao edital não podem adiar leilão da 3G", artigo do site Convergência Digital, 11/12/2007;
  9. "Nextel e Telemig são surpresas para o leilão de 3G", artigo do site Convergência Digital, 11/12/2007;
  10. "Dinheiro pago em licenças 3G dobraria base de ERBs", artigo do site Convergência Digital, 10/12/2007;
  11. "Operadoras montam estratégia para terem 3G nacional", artigo do site Convergência Digital, 10/12/2007;
  12. "3G vai revolucionar a banda larga", artigo do site Convergência Digital, 06/12/2007;
  13. "3G da Claro chega a SP", artigo do site Convergência Digital, 04/12/2007;
  14. "3G em 700 MHz, no Brasil, só depois de 2015", artigo do site Convergência Digital, 03/12/2007;
  15. "Anatel aprova 3G nas freqüências de 850 MHz a 1,9 Ghz", artigo do site Convergência Digital, 31/10/2007;
  16. "Leste Europeu incrementa base 3G", artigo do site Convergência Digital, 21/11/2007;
  17. "3G acirra disputa entre móveis e fixas por banda larga", artigo do site Convergência Digital, 13/11/2007;
  18. "'Adiar o leilão de 3G é um alto risco', alerta presidente da TIM", artigo do site Convergência Digital, 07/11/2007;
  19. "Saiba quais são as vantagens da rede 3G para celulares", artigo do site IDG Now, 07/11/2007;
  20. "Fabricantes correm para homologar celulares 3G", artigo do site Convergência Digital, 29/10/2007;
  21. "Área da Brasil Telecom é a mais cara no edital da 3G", artigo do site Convergência Digital, 24/10/2007;
  22. "Anatel vê entraves para permitir oferta de 3G antes do leilão", artigo do site IDG Now, 03/10/2007;
  23. "112,75 milhões de pessoas são assinantes de telefonia celular em setembro de 2007, segundo a Anatel", site IDG Now, 2007;
  24. "3G Americas' Contribution to CITEL", do site 3G Americas', 04/2007;
  25. "Telemig compra rede 3G em 850 MHz e descarta leilão", artigo do site Convergência Digital, 26/03/2007;
  26. "Telecom tem trimestre ruim e aguarda 3G para "salvar" 2007", artigo do site Convergência Digital, 13/03/2007;
  27. "Telefonia móvel: o futuro é 3G", artigo do site Convergência Digital, 10/02/2007;


Autoria do site : Roberto Colistete Jr.

Últimas atualizações : 15/12 (22h), 16/12/2007 (17h33, 21h50, 23h04, 23h59), 17/12/2007 (0h32).
doteasy.com - free web hosting. Free hosting with no banners.